Proxima b – Um planeta de Proxima Centauri

Proxima b - Crédito: ESO/M. KornmesserProxima Centauri é a estrela mais próxima de nós a seguir ao Sol, situando-se a uma distância de 4,2 anos-luz. Esta estrela é uma anã vermelha de fraco brilho que pode ser observada na constelação de Centauro apenas com recurso a bons telescópios astronómicos. No dia 24 de Agosto de 2016, foi anunciada a descoberta de um planeta a orbitar esta estrela. O planeta recém-descoberto passou a ser chamada de Proxima b ou Proxima Centauri b. Continue a ler

Estrela Tabby – Um mistério por resolver

Estrela Tabby (no infravermelho)A estrela Tabby (cuja designação oficial é KIC 8462852) é uma estrela que ultimamente tem despertado muito interesse e curiosidade por parte dos astrónomos, estando envolta por um mistério ainda não resolvido. Esta estrela tem apresentado grandes variações no seu brilho que ainda não foram devidamente explicadas, apesar de existirem várias hipóteses que tentam explicar o fenómeno. Continue a ler

O que é Radioastronomia?

RadiotelescópioO que é radioastronomia? A radioastronomia é um ramo da astronomia que estuda os diversos componentes do Universo na frequência das ondas de rádio. A astronomia possui ferramentas que permitem observar os objetos celestes nas mais diversas formas de radiação electromagnética, tais como raios gama, ultravioleta, infravermelho, entre outros. Entre essas formas de radiação inclui-se também as ondas de rádio, e é exatamente aí que entra a radioastronomia. Continue a ler

Sonda Juno chegou ao planeta Júpiter

JúpiterA sonda espacial Juno chegou ao planeta Júpiter no dia 4 de Julho de 2016. Esta sonda espacial foi lançada pela NASA a partir do Cabo Canaveral, Estados Unidos da América, no dia 5 de Agosto de 2011, tendo chegado a este gigante do Sistema Solar quase cinco anos depois. Continue a ler

Oriónidas – Chuva de Meteoros

Oriónidas - Crédito: Brocken InagloryAs Oriónidas são uma conhecida chuva de meteoros cujo radiante localiza-se na constelação de Órion. Quer isto dizer que estes meteoros parecem surgir a partir dessa constelação. As primeiras Oriónidas podem ser observados a partir dos primeiros dias de Outubro, e as últimas no início de Novembro. As Oriónidas “visitam” nosso céu todos os anos. Continue a ler