Satélites de Saturno

Satélites de SaturnoO planeta Saturno tem atualmente 62 satélites naturais conhecidos (é possível que existam mais que ainda não conhecemos). Os satélites de Saturno são muito diferentes uns dos outros, nos mais variados aspectos. Em termos de dimensão, o maior satélite natural (lua) de Saturno é Titã com 5.150 km de diâmetro; outros satélites de Saturno possuem mesmo menos de 1 km de diâmetro. Entre esses extremos, existem muitas luas de Saturno com tamanhos variados e outras características distintas. Vamos então apresentar um panorama geral sobre o sistema de satélites naturais do planeta Saturno. Continue a ler

Eclipses Solares e Lunares em 2018

EclipseEclipses 2018: Durante o ano de 2018 vão ocorrer 5 eclipses: 3 eclipses do Sol  e 2 eclipses da Lua. Os eclipses são fenómenos astronómicos que despertam o interesse não só dos astrónomos profissionais e amadores, mas também das pessoas em geral. Dado o interesse que estes acontecimentos astronómicos despertam, vamos neste artigo ver onde e quando poderão ser observados os eclipses em 2018. Continue a ler

Satélites de Júpiter

Satélites de JúpiterAtualmente conhecemos 69 satélites naturais que orbitam o planeta Júpiter. Os satélites de Júpiter são muito diferentes uns dos outros, sendo que alguns fazem parte dos maiores satélites entre todos os planetas do Sistema Solar possuindo alguns milhares de km de diâmetro, enquanto que muitos outros são pequenos “rochedos” com poucos quilómetros de diâmetro. Vamos assim de seguida apresentar um panorama geral sobre os satélites de Júpiter. Continue a ler

Missão da Sonda Cassini chega ao fim

CassiniDepois de mais de 13 anos a estudar o planeta Saturno e vários dos seus satélites naturais (luas), a missão da sonda Cassini chega agora ao fim. Se tudo acontecer como o previsto, no dia 15 de Setembro de 2017 a sonda Cassini será intencionalmente destruída entrando na atmosfera do planeta Saturno. Continue a ler

Estrela Anã Negra

Anã NegraUma estrela anã negra é um tipo de estrela hipotética, que seria o resultado de uma estrela anã branca que arrefeceu de tal forma que deixou de emitir de forma significativa luz e calor. Calcula-se que o tempo necessário para que uma estrela anã branca se torne numa anão negra seja maior que a idade atual do Universo, como tal pensa-se que ainda não existem anãs negras no Universo. Continue a ler