Cometa ATLAS

Cometa ATLAS - Crédito: Gerald RhemannNo momento em que este artigo está a ser escrito (final de Março de 2020), o Cometa ATLAS, designado por C/2019 Y4 (ATLAS), está a chamar a atenção da comunidade científica devido à possibilidade deste cometa passar a ser visível a olho nu nas próximas semanas.

O cometa ATLAS foi descoberto no dia 28 de Dezembro de 2019. No momento da descoberta, este cometa apresentava uma magnitude de +19,6 visto a partir da Terra, o que significava que seu brilho era realmente muito fraco sendo apenas observável através de instrumentos de observação capacitados para tal. Nessa data, o cometa encontrava-se na direção da constelação da Ursa Maior (no hemisfério norte).

Entre o início do mês de Fevereiro de 2020 e o fim de Março do mesmo ano, o brilho passou de uma magnitude de +17 para +8, o que significa na prática que seu brilho aumentou cerca de 4.000 vezes. Um grande aumento de brilho por parte do cometa ATLAS, coloca a possibilidade deste cometa tornar-se visível a olho nu durante o mês de Abril ou durante o mês de Maio. Eventualmente poderá vir a ser um cometa realmente brilhante no nosso céu, porém ainda não sabemos ao certo o que irá acontecer. Se tal acontecer, os observadores do hemisfério norte estarão em muito melhores condições de observação que os do hemisfério sul. A órbita deste cometa faz com que este seja dificilmente acessível aos observadores do hemisfério sul.

No dia 23 de Maio, este cometa passará pelo ponto mais próximo da Terra. No dia 31 de Maio, o cometa passará pelo ponto mais próximo do Sol (periélio).

Estima-se que o cometa C/2019 Y4 (ATLAS) demore aproximadamente 6.000 anos a completar uma volta ao redor do Sol, sendo que o ponto mais afastado do Sol (afélio) é de aproximadamente 662 UA, e o ponto mais próximo do Sol (periélio) é de aproximadamente 0,25 UA. É importante ter em mente que UA significa Unidade Astronómica, e corresponde aproximadamente à distância média entre a Terra e o Sol, ou seja, 1 UA corresponde a quase 150 milhões de km (em rigor, é ligeiramente menor que este valor).

A órbita do cometa C/2019 Y4 (ATLAS) possui elementos semelhantes com a órbita do Grande Cometa de 1844 (C/1844 Y1), o que faz suspeitar que talvez estes 2 cometas sejam fragmentos de um mesmo cometa maior que se desfragmentou.

Neste momento (final de Março de 2020), ainda não sabemos se o cometa ATLAS será ou não visível a olho nu, e se for, não sabemos o brilho a que poderá chegar. É difícil de prever o “comportamento” dos cometas. É possível que venhamos a ter um belo espetáculo astronómico, ou talvez o cometa nem venha a ser visível à vista desarmada. É algo que vale a pena estarmos atentos ao longo dos meses de Abril e Maio de 2020.

C/2019 Y4 (ATLAS) - Crédito: Gerald Rhemann

C/2019 Y4 (ATLAS) – Crédito: Gerald Rhemann

Para saber mais sobre cometas, fica aqui uma sugestão de leitura de um pequeno artigo: O que é um cometa?

Fica aqui também uma outra sugestão de leitura de um artigo que fala sobre alguns dos mais marcantes cometas que foram observados ao longo da História: Grandes cometas da História da astronomia.

Share Button
Tagged . Bookmark the permalink.

Comments are closed.